Morar com os sogros: é possível levar uma vida harmoniosa assim?

Aprenda a ter uma boa convivência para que a situação não atrapalhe seu casamento

sogros em casa
Por Daniela Andrioli - 22/01/2018

É possível manter uma convivência harmoniosa | FOTO: Shutterstock

Em um país em que a expectativa de vida da população aumentou e que os idosos já são mais de 20 milhões, é comum ter que morar com os sogros para ajudá-los nas tarefas domésticas. Mas como lidar com essa mudança sem afetar a relação?

Pensar no próximo

Segundo Denise Miranda de Figueiredo e Marina Simas de Lima, psicólogas, terapeutas de casal e fundadoras do Instituto do Casal, ter os pais ou sogros morando em casa trata-se de um enorme desafio, mas também uma prova de maturidade e empatia. “Nessa situação, é preciso se colocar no lugar de quem precisa de abrigo, assim como no lugar do filho ou da filha. É um momento de colocar a solidariedade em prática e retribuir tudo o que os pais já fizeram por nós. Isso pode ajudar a lidar muito melhor com a mudança”, afirmam.

Como resolver esse dilema?

As psicólogas aconselham que “o casal precisa sentar e conversar para chegar a um acordo. É preciso fazer um planejamento para decidir todos os detalhes, como a reorganização do espaço físico, contas, logística de médicos, pagamentos etc. Depois, é importante comunicar os filhos. O processo de adaptação pode ser longo, por isso, paciência e flexibilidade é fundamental para dar certo”, diz Denise.

Adaptações são necessárias para morar com os sogros!

“O desafio é passar por esta situação da melhor forma possível e de uma maneira suave. É preciso ajudar a família nuclear e a família de origem a se adaptar a esse novo contexto, que deve ser desenhado conjuntamente, com combinados claros e preestabelecidos por meio do diálogo franco. A relação a dois tende a ganhar novos significados,
se fortalecer em função da vivência, da lealdade e dos cuidados com os pais, e irá, ao mesmo tempo, ensinar aos filhos um modelo de relação afetiva muito melhor enquanto membro dessa família”, concluem as especialistas.

Leia também: